Vinhos unicórnio

Bonnet Ponson

A história do vinho começa em 1862 com Grégoire Bonnet, um dos primeiros colhedores-manipuladores da cidade de Chamery.

Jules Bonnet assume a propriedade, expande a vinha Chamery e em 1902 instala uma prensa Dubois de 5.500 kg, totalmente alimentada por energia humana, enquanto a eletricidade humana ainda não está instalada na aldeia. Nessa altura, a actividade da quinta repartia-se entre a produção familiar de cavas e vinhos tranquilos e a venda de uvas para os casarões.

Após a destruição da Segunda Guerra Mundial, Raoul Bonnet teve que realocar a propriedade. Em seguida, começou a construção de nossa atual vinícola para armazenar sua produção de cerca de 5.000 garrafas por ano. A ele juntou-se rapidamente o seu filho André Bonnet que, desde os 14 anos, se encarregou de arar as vinhas com os 2 cavalos de tração da casa.

O NASCIMENTO DE BONNET-PONSON

O encontro e casamento de André Bonnet e Monique Ponson em 1957 resultou na criação da propriedade Bonnet-Ponson. Além da vinha Chamery, ele tinha parcelas de Meunier sur Vrigny e Coulommes-la-Montagne, um legado de Monique Ponson cujo avô já era vinicultor.

Depois de uma vida de muito trabalho, a sua vinha estende-se por mais de 9 Ha, plantada com as 3 variedades de uvas Champagne em proporções equivalentes. Underground, isto também se desenvolve com a expansão da adega de André Bonnet, ansioso por desenvolver o estilo dos seus champanhes rumo a uma maior complexidade e maturidade.

Quando Thierry Bonnet se juntou aos seus pais em 1979, todas as etapas da produção dos champanhes Bonnet-Ponson eram realizadas pela família e seus 3 funcionários, incluindo o escoamento em trânsito de cerca de 70.000 garrafas.

A QUINTA E A SEXTA GERAÇÕES

Por 30 anos, Thierry Bonnet continuou a desenvolver a propriedade construindo novas vinícolas, bem como adicionando um hectare adicional de vinhas ao vinhedo, várias parcelas localizadas nos terroirs de Chamery, Vrigny e Verzenay. Thierry também voltou a trabalhar com vinhos de sub-bosque em 1988 com a primeira safra do Jules Bonnet Blanc de Noirs cuvée.

Após obter o seu diploma em enologia em 2006, Cyril Bonnet começou na propriedade Frontón por 6 anos antes de se juntar ao seu pai em 2013. Ele então começou a converter a propriedade para a agricultura orgânica e desenvolvimento de vinhas. métodos alternativos baseados na medicina fitoterápica. Na adega, alguns dos vinhos são agora vinificados sem sulfitos, com o nascimento de uma nova cuvée em breve.

A personalidade de um vinho depende principalmente da origem das uvas utilizadas na sua elaboração. Os da nossa casa vêm sempre da vinha da família, cerca de cinquenta parcelas espalhadas pelas aldeias de Chamery, Vrigny, Coulommes-la-Montagne e Verzenay.

Ao longo desta fachada da Montagne de Reims, os vários lados da costa criam terroirs com exposições variadas, que vão de norte a sudeste. A natureza dos solos também muda de acordo com as cidades e localidades, entre areia, calcário e argila, criando situações favoráveis para várias castas.

Com uma área total de 10,5 Ha, a nossa vinha tem uma idade média de 35 anos. Hoje são plantados 3,80 Ha de Pinot Noir, 3,30 Ha de Meunier, 3,20 Ha de Chardonnay e 0,20 Ha de Petit Meslier.MAPA DE TERRUÑO

CHAMERY, VRIGNY E COULOMMES LA MONTAGNE

A maioria de nossos terrenos está plantada nas encostas dessas 3 vilas classificadas pela Premier Cru. Esta parte da montanha Reims foi formada no período terciário e compreende diferentes camadas geológicas acumuladas com base no giz da Campânia.

No fundo da costa encontramos areias, solos leves e quentes; A maior parte do nosso Pinot Meunier cresce nestes solos, produzindo vinhos com fruta intensa e por vezes exótica. Leves e fáceis de digerir na juventude, desenvolvem um belo material com a idade.

Subindo a encosta, a proporção de silte aumenta e se mistura com a argila. É o terroir de nossos Pinots Noirs que prospera nesses solos profundos e bem expostos. Os vinhos destas "costelas" têm uma bela estrutura e mostram uma magnífica profundidade aromática, sobre frutos vermelhos e amarelos e especiarias.

Mais acima na encosta, estão plantadas nossas parcelas de Chardonnay, protegidas do risco de geadas primaveris. O solo é mais argiloso, às vezes misturado a pedras calcárias e fragmentos de sílex. Os vinhos aqui mostram vivacidade e honestidade, com registo aromático em torno de flores brancas, citrinos e frutos brancos. Um pouco reservados na juventude, são muito mais expressivos ao longo dos anos e muitas vezes fazem parte dos nossos vinhos de reserva.

VERZENAY

Desde 2003, temos trabalhado em 5 parcelas de vinhas antigas de Pinot Noir nesta aldeia classificada de Grand Cru. A exposição norte da encosta cria uma situação particularmente favorável para a expressão de Pinot Noir.

As vindimas relativamente tardias permitem uma maturação gradual, preservando a acidez dos cachos e conferindo aos vinhos um grande potencial de envelhecimento. A textura mineral proporcionada pela terra calcária contribui para a força e equilíbrio destes vinhos, que é a base do nosso champanhe Jules Bonnet Blanc de Noirs.

Apego à nossa terra, procura de autenticidade, respeito pelos seres vivos: estes valores tão caros à Bonnet-Ponson nos levaram naturalmente a trabalhar as nossas vinhas com métodos orgânicos e sustentáveis. Desde 2013, certificação orgânica Diz respeito a toda a nossa vinha, garantindo assim que as nossas parcelas não recebam insecticidas, herbicidas ou fungicidas sintéticos.

A proteção fitossanitária essencial contra o oídio e oídio é realizada por meio de fungicidas naturais (cobre e enxofre), utilizados em adição aos preparados de plantas nativas preparados na fazenda (maceração e infusão de urtiga, cavalinha e confrei).

O objetivo é acima de tudo aumentar a vitalidade da planta e sua capacidade de defesa. É uma abordagem mais preventiva e abrangente do que curativa. A consequência mais concreta e mensurável é a colheita da uva livre de vestígios de agrotóxicos, pois esses tratamentos atuam na superfície (contato) sem penetrar na circulação da planta.

PISO AO VIVO

A vegetação desenvolve-se naturalmente nas nossas vinhas durante boa parte do ano, permitindo a renovação da camada de húmus essencial à vida do solo.

De abril a julho, a manutenção do solo é feita por arranhões e escavações. Este arado raso permite que o solo respire e também faz com que as vinhas criem raízes mais profundamente. A videira pode então alimentar-se da substância mineral do local e adquirir uma maior resistência aos perigos climáticos.

Este método de cultivo leva a uma redução nos rendimentos, em grande parte compensada pela qualidade superior dos cachos e um melhor equilíbrio ácido / açúcar nos sucos. Uma videira que produz menos uvas também tem uma expectativa de vida mais longa.

Vinificação

A partir da vindima, cada etapa da vinificação realiza-se com métodos delicados e respeitosos, com o objetivo de revelar a expressão mais pura dos nossos vinhos Champagne.

Prensada por parcela ou por grupo de parcelas próximas, a uva libera o mosto que flui por gravidade para os tanques de decantação localizados em nossas vinícolas. Eles são fermentados no dia seguinte com massa azeda de nossa casa, uma cultura de levedura de nossos terroirs previamente desenvolvida a partir de uvas prensadas uma semana antes da colheita. Esse procedimento nos permite limitar ao mínimo o uso de sulfitos, ou mesmo dispensá-los totalmente durante parte da colheita.

UM TRABALHO DE PACIÊNCIA

Em barricas de carvalho, inox ou betão, cada sumo fermenta no contentor, permitindo a melhor expressão das suas qualidades, preservando o seu potencial de envelhecimento. A fase de maturação dura pelo menos 7 meses: o vinho novo forja então, em contacto com as suas borras, a estrutura que vai garantir a sua evolução ao longo do tempo. A clarificação ocorre naturalmente, graças ao frio do inverno e os vinhos geralmente não são filtrados.

Todos os anos, entre 30 e 401T da colheita vão para a reserva para serem misturados com as vindimas subsequentes. Esta “memória gustativa” iniciada há 50 anos por André Bonnet garante a consistência do estilo da casa Bonnet-Ponson.

No final do sorteio e da segunda fermentação, os nossos cuvées esperam entre 3 e 10 anos na calma das nossas caves, o tempo necessário para atingir o ponto de maturação perfeita, com um equilíbrio entre a frescura e o vínico.

No final do envelhecimento, cada garrafa é por nós despejada, depois recebe a dose do licor de expedição que mais lhe convém, o toque final na elaboração dos nossos cavas.

Salvar e compartilhar carrinho
Seu carrinho de compras será salvo e você receberá um link. Você, ou qualquer pessoa com o link, pode usá-lo para recuperar seu carrinho a qualquer momento.
Voltar Salvar e compartilhar carrinho
Seu carrinho de compras será salvo com fotos e informações do produto e totais do carrinho. Em seguida, envie para você mesmo ou para um amigo com um link para recuperá-lo a qualquer momento.
Email do seu carrinho enviado com sucesso :)